segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Vértice | O Nascer De Um Grande Espumante

As Caves Transmontanas nascem no final do anos oitenta, em 1988, na região do Douro, com vinhas cercadas por montanhas transmontanas e beirãs, em zonas elevadas, onde as brisas estivais sopram  frescas e onde as vinhas se desenvolvem com características próprias para a produção de vinhos de mesa.
A ocidente é abrigado dos ventos húmidos pelos montes graníticos do Marão e do Montemuro. As suas vinhas, cultivadas em terrenos graníticos e xistosos, são sujeitas a Verões muito quentes e secos e a Invernos rudes e prolongados com muita geada e neve.
Este é o terroir e o berço dos vinhos Vértice e dos seus espumantes de elevada qualidade.

Na última edição do Encontro Com o Vinho e Sabores em Lisboa, tive o prazer de estar presente na Prova Especial  dos  espumantes Vértice que acabou por ser uma boa surpresa ao fugir do conceito normal de prova de vinho pura e simples, para ser antes uma verdadeira aula acerca dos espumantes desta casa e de como se chega ao produto final, ou seja, como nasce um grande espumante.
Celso Pereira, Enólogo responsável pela produção do espumante Vértice desde 1989, conduziu de forma apaixonada a prova dos vinhos base até chegarmos à prova dos espumantes já finalizados.
Começámos, então, por provar os vinhos base. Os anos 2006, 2008, 2009, 2010 Pinot Noir, 2010 Chardonnay, 2011, 2015, 2016 e depois um hipotético lote 2016 foram a base para esta sessão.
Perfis diferentes, como era de esperar, alguns com mais acidez, outros com muitos aromas de pastelaria, de massa fresca, com componentes mais ou menos tostados ou ainda citrinos mais pronunciados que em outros, volume e mineralidade também em diferentes medidas. Um verdadeiro puzzle à espera que alguém junte as peças no seu lugar devido.
Após todo este ambiente de aprendizagem, que merece ser aprofundado em futuros episódios, a prova de quatro espumantes Vértice.

VÉRTICE 2000 RESERVA BRUTO  | 12,3% | PVP 13,5€
CAVES TRANSMONTANAS, LDA
Cor amarelo definido, ligeiros alourados, leves, muito leves, bolha fina e persistente. Aromas muito clássicos com notas de pão, pastelaria e brioche. A bolha apresenta-se fina e leve na boca, com muita elegância e secura de boca, terminando longo.

VÉRTICE 2005 RESERVA BRUTO | DOURO | 12% | PVP 13,5€
CAVES TRANSMONTANAS, LDA
Cor amarelo citrino, bolha muito fina e persistente. No nariz os aromas predominantes são mais de pão levedo, massa em fermentação e, na boca, temos o exemplo de verdadeira mousse, leve, cremosa, fresca, seco e de final longo e elegante.

VÉRTICE 2007 SUPER RESERVA MILLÉSIME | DOURO | 12% | PVP 23,90€
GOUVEIO, MALVASIA FINA, RABGATO, VIOSINHO, TOURIGA FRANCA
CAVES TRANSMONTANAS, LDA
Cor amarelo citrino, bolha finíssima e persistente. Aromaticamente de traço limpo, pão fresco ligeiramente torrado, alguma fruta e mineralidade. Na boca bolha leve, delicada, com muita finess,  equilíbrio, acidez e de final prolongado.

VÉRTICE 2009 SUPER RESERVA MILLÉSIME | DOURO | 12,5% | PVP 23,90€
GOUVEIO, MALVASIA FINA, RABGATO, VIOSINHO, TOURIGA FRANCA
CAVES TRANSMONTANAS, LDA
Cor amarelo citrino, limpo, bolha finíssima, persistente e de aspecto jovem. No nariz aromas muito limpos, fineza, pão acabado de fazer, tosta, algumas notas de pastelaria fina, fruta madura, equilibrado e fresco. Na boca marcam a leveza, a mousse fina, bolha delicada, mais uma vez muita finess e um comprimento final extenso.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails